Pular para o conteúdo principal

Para que um GED?

Como parte da análise de requisitos, precisamos avaliar porque precisamos de um GED.

A humanidade progrediu graças aos bibliotecários e guardiões do conhecimento, eles mantiveram o conhecimento: história, filosofia, ciências e tecnologia para as gerações futuras.

Assim também funciona uma empresa ou uma família: documentos, contratos, certidões, lembranças, fotos, comprovantes de quitação, apólice de seguros, planta de um apartamento, etc,tudo isso tem que ser guardado.



Alguém precisa guardar esta informação, lembrando nem tudo está no Google, algumas coisas são só suas ou da sua empresa e, um dia, será necessário consultar ou apresentar como evidência em uma contestação ou disputa, ou mesmo como base para uma evolução.

Por que, então, não guardamos tudo em um drive na nuvem e pronto?  Porque os documentos são para sempre, 20, 30 anos e um sistema gratuito na web não costuma a durar tanto, e ele não dá garantias para o usuário.  O Orkut só durou 10 anos!

O GED é uma fonte de informação valiosa em tempos onde não sabemos mais onde guardamos os arquivos eletrônicos importantes.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

6 Metas para 2018 ser o ano da Transformação Digital da sua empresa

Em 2018, a empresa que quiser se manter competitiva terá que atingir algumas metas de transformação digital.  Com tanta tecnologia à disposição, quem não se preparar para enfrentar a concorrência com produtividade e qualidade não terá muita chance.


Meta 1: Use um sistema de ECM para gerir todos os documentos da empresa.  Os sistemas de gestão de documentos e conteúdo usam recursos de Inteligência Artificial para auxiliar na classificação e, com isso, fica mais fácil ter tudo, absolutamente tudo, devidamente guardado, pesquisável, acessível e com controle de acesso. Além disso, ferramentas de Inteligência Artificial precisam de bases classificadas e muito conhecimento para poder tirar suas conclusões e, quanto mais conteúdo, mais rápido será o seu aprendizado.  Essa é a primeira coisa a se fazer em 2018 pois é fácil de começar e, quanto antes, menos trabalho para concluir.



Meta 2. Use BPMs para modelar e automatizar processos sejam eles: administrativos, industriais, financeiros, de ma…

Vamos falar de Big Data e da profissão analista de dados

O assunto Big Data está em voga e não é por acaso, a sociedade já esperava por este tipo de solução há muito tempo e só não tínhamos tecnologia para isso. 
Vou tentar explicar o fenômeno até o final desta postagem:
Usamos Big Data para obter diagnósticos complicados. Isso significa que usamos a tecnologia para conhecer mais sobre fenômenos naturais, sobre organismos, sobre tendências mercadológicas, assuntos complexos demais para que os teóricos consigam criar modelos matemáticos precisos que possam ser usados pelos profissionais para detectar uma tendência.
No meio científico, chamamos de problema inverso a tentativa de entender um fenômeno a partir de algumas medições periféricas.


Para resolver um problema inverso é necessário ter dados, e quanto mais dados, mais preciso será a modelagem e melhor será a predição. Sim, o nome é predição mesmo!
Mas ter dados não é suficiente, é necessário ter algoritmos para encontrar o modelo que mais se adequa ao fenômeno que se deseja reproduzir. …

Como atender às resoluções do Banco Central para digitalização de documentos em instituições financeiras

Recentemente, tenho recebido questionamentos vindos principalmente de instituições financeiras de como preceder no processo de digitalização de documentos depois das resoluções emitidas pelo Banco Central do Brasil em março e abril deste ano.

As resoluções tem por objetivo definir regras para guarda digital, descarte de documentos originais e procedimento para abertura e fechamento de contas por meios eletrônicos.

.

Ambas falam de garantias e procedimentos para que a documentação digital seja reconhecida e que as instituições financeiras, reconhecidas como pioneiras em processos digitais possam expandir seus negócios com segurança nos meios eletrônicos.

A resolução nº 4.474, de 31 de março de 2016 dispõe sobre a digitalização e a gestão de documentos digitalizados relativos às operações e às transações  realizadas pelas instituições financeiras e pelas demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco  Central do Brasil, bem como sobre o procedimento  de  descarte  das  matrizes  …