Pular para o conteúdo principal

Supply chain, crédito e Inteligência de Negócios



Esta semana ocorreu um fato que me trouxe à lembrança um problema em que trabalhei faz alguns anos.  Há dois meses adquiri um cartão recarregável para que a assistente doméstica da família pudesse ir livremente aos mercados próximos comprar os mantimentos para a casa. Pensei que seria um pouco mais caro , mas descobri que ela compra bem melhor do que eu e o custo total final foi reduzido.

O problema surgiu na recarga. O cartão está no CPF da minha mulher e , como fiquei  responsável por recarregá-lo, faço por boleto. Mesmo tendo uma excelente integração com o aplicativo do meu banco, essa modalidade leva de 24 a 48 horas para recarregar. Logo no início ela ficou sem saldo algumas vezes até que eu aprendesse seu comportamento de compra. Finalmente, após algumas semanas,  criei o “saldo de segurança”, o “ponto de recarga” e o “lote econômico de recarga”…
Acho que já vi isso antes! Quem trabalhou com com ferramentas de inteligência de negócios a vida toda, acaba fazendo sem sentir.
Interessante essa armadilha mental do ponto de pedido contra o saldo mínimo. A melhor armadilha em que trabalhei foi a do planejamento do objetivo de  vendas limitado pelo credito concedido. Tome-se um fabricante de produtos que vende a crédito para seus bons e grandes clientes, sendo nacionais e internacionais. Para cada um é feito uma análise de garantia de crédito junto a uma seguradora e estabelecido um valor garantido. Esse valor irá ditar o volume mensal de compras desse cliente, acima do qual ele terá que fazer pagamentos antecipados  ou adicionar alguma outra garantia. Isto funciona bem quando o ciclo entre o picking, o faturamento, a entrega e o pagamento é curto, digamos de aproximadamente um mês.

Quando tratamos de entregas distantes, com transito marítimo e aduaneiro, e mais ainda, quando há consolidação de cargas, esse prazo pode chegar a 90 dias entre o picking e a entrega. Considerando que o bloqueio do credito no valor do lote a ser enviado começa no picking, e que esse cliente teria 60 dias de credito, chegamos a 5 meses  entre o picking e a liquidação da fatura. Ao conceder um credito, neste caso, o fornecedor tem que ter em mente que seu objetivo mensal de vendas estará limitado a quinta parte do credito concedido. Dependendo do cliente, nem sempre  as seguradoras aceitam o  valor pretendido, restringindo o plano de vendas do fornecedor. Enfim, neste caso , quem determina o objetivo de vendas é a seguradora. 
Estava então à frente de um problema de automação de processos e tomada de decisão baseada em inteligência de negócios! Uma ferramenta de gestão foi sincronizada com o sistema DRP para que pudesse alertar antecipadamente quando um pedido do cliente seria potencialmente  bloqueado alguns meses à frente.
Este é um dos muitos fatores de motivação na busca da redução dos ciclos operacionais nas cadeias de abastecimento. Encurtar os ciclos ou aproximar a produção dos clientes, sem criar risco de ter estoques onde não há demanda em estoques de proximidade (risk pooling).
Enfim, eu no meu complexo caso doméstico vou comprar um cartão no meu CPF e fazer a transferência direto da minha conta, que é imediata, reduzindo assim o meu ciclo em 48h.

Saiba mais sobre ferramentas para supply chain


 Este texto foi escrito por Márcio Ferreira da Silva, Engenheiro de Produção pela UFRJ, MBA pela COPPEAD e diretor comercial da Lab245 Software.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

6 Metas para 2018 ser o ano da Transformação Digital da sua empresa

Em 2018, a empresa que quiser se manter competitiva terá que atingir algumas metas de transformação digital.  Com tanta tecnologia à disposição, quem não se preparar para enfrentar a concorrência com produtividade e qualidade não terá muita chance.


Meta 1: Use um sistema de ECM para gerir todos os documentos da empresa.  Os sistemas de gestão de documentos e conteúdo usam recursos de Inteligência Artificial para auxiliar na classificação e, com isso, fica mais fácil ter tudo, absolutamente tudo, devidamente guardado, pesquisável, acessível e com controle de acesso. Além disso, ferramentas de Inteligência Artificial precisam de bases classificadas e muito conhecimento para poder tirar suas conclusões e, quanto mais conteúdo, mais rápido será o seu aprendizado.  Essa é a primeira coisa a se fazer em 2018 pois é fácil de começar e, quanto antes, menos trabalho para concluir.



Meta 2. Use BPMs para modelar e automatizar processos sejam eles: administrativos, industriais, financeiros, de ma…

5 razões para começar a usar o seu talento e vender seus próprios aplicativos

Você já pensou em ser um consultor independente? Se você é daquele tipo que entende muito bem como funcionam os processos dentro de uma empresa, tudo que você precisa é de uma ferramenta que seja amigável, customizável, que não exija saber programar as linguagens do momento e, principalmente, que ofereça suporte na nuvem para celular e smartphones. 5 razões para começar a usar o seu talento e vender seus próprios aplicativos Uma: Você será reconhecido como empreendedor e inovador:   Criar uma aplicação mobile para ambiente corporativo ainda é para poucos.
Duas: Você não será um aventureiro, você vai ganhar dinheiro: Vendendo para empresas, você vai ganhar muito dinheiro com quase nenhum custo e vai trabalhar para várias organizações sem ocupar todo o seu dia.
Três: Você consegue colocar sua ideia em prática sem precisar programar:    Com BPM, você modela qualquer tipo de processo corporativo com facilidade e rapidez, integrando com ERP e  ainda oferece uma solução de ECM e GED.
Quatro:…

Vamos falar de Big Data e da profissão analista de dados

O assunto Big Data está em voga e não é por acaso, a sociedade já esperava por este tipo de solução há muito tempo e só não tínhamos tecnologia para isso. 
Vou tentar explicar o fenômeno até o final desta postagem:
Usamos Big Data para obter diagnósticos complicados. Isso significa que usamos a tecnologia para conhecer mais sobre fenômenos naturais, sobre organismos, sobre tendências mercadológicas, assuntos complexos demais para que os teóricos consigam criar modelos matemáticos precisos que possam ser usados pelos profissionais para detectar uma tendência.
No meio científico, chamamos de problema inverso a tentativa de entender um fenômeno a partir de algumas medições periféricas.


Para resolver um problema inverso é necessário ter dados, e quanto mais dados, mais preciso será a modelagem e melhor será a predição. Sim, o nome é predição mesmo!
Mas ter dados não é suficiente, é necessário ter algoritmos para encontrar o modelo que mais se adequa ao fenômeno que se deseja reproduzir. …